[Análise] SSFIV: Mais um round vencido pela Capcom


Elaborar análises sobre jogos eletrônicos é tarefa complicada. Entender exatamente o que os produtores querem transmitir pode ser mais difícil do que parece. Em cada game, uma série de pequenas características compõe a estrutura de narrativa,  de jogabilidade, de gráficos e interatividade.

Escrever, ainda, quando o game fez parte da sua história juvenil, é mais intenso. Mas, dessa vez, fui convidado para analisar Super Street Fighter IV para o blog Receita de Sucesso, do grande amigo Pedro Cardoso. É sempre um prazer elaborar um texto com esse propósito e, muito melhor, quando falamos de um jogo emaranhado de lembranças.

Quero agradecer o espaço dedicado pelo meu amigo, e espero que todos os leitores do Push Start entrem, leiam e comentem para que esse seja apenas o primeiro… Segue a introdução do texto e o link do Receita e Sucesso.

Super Street Fighter IV

Quando estamos na frente da televisão, jogando nosso game predileto, uma avalanche de pensamentos e recordações toma conta nosso cérebro.

Vivemos continuamente com os resquícios dos games que já passaram pela nossa vida. Certos momentos e inspirações retornam das mais variadas formas. Esses fragmentos, contextualizado em qualquer gamer ‘Old School’, está intrínseco na série Street Fighter.

As casas de fliperamas, do início dos anos 90, são exemplos dessa batalha. Fichas e mais fichas eram gastas para o aprimoramento dos golpes e o descobrimento do mecanismo de execução. Street Fighter II – World Warriors, mudou os paradigmas dos jogos de luta e praticamente todos os games que vieram após o seu lançamento continham referências evidentes.

Para ler na íntegra, acessem: Receita de Sucesso