[Análise] Pure Futbol: Um game para ser esquecido


O que faz um jogo de futebol ser bom? Jogabilidade? Precisão dos controles? Fluidez nos toques de bola? Física realista? Inteligência Artificial elaborada? Todas essas características juntas? Nesse paradigma, acompanhamos ano a ano uma disputa interessante entre a Konami e a Eletronic Arts. PES e Fifa protagonizam uma das maiores disputas pela supremacia do futebol digital.

Independente da escolha pessoal, é sabido que ambos possuem propriedades interessantes e continuamente evoluem em todos sentidos. Nessa realidade, um anúncio inesperado soou como um desatino a esse pressuposto. A Ubsisoft decidiu entrar no mercado e, no dia 01 de junho, lançou Pure Futbol.

O game não segue os padrões tradicionais, e tem um estilo parecido com o FIFA Street. Nada muito sério, visa apenas a diversão pura e simples.

Continue lendo

[Análise] Confira as primeiras impressões de Metro 2033


Encarar um FPS pós-apocalíptico é uma tarefa, no mínimo, interessante. Em uma atmosfera categoricamente poluída pelo medo, Metro 2033 é um jogo singular. Nesses primeiros capítulos estou observando um emaranhado de enredo e jogabilidade que condizem com que esperava. A realidade imposta pela história nos impulsiona a um mundo desconhecido e anárquico.

Baseado no livro de Dmitry Glukhovsky, a trama pareceu interessante desde sua concepção inicial. Por não conhecer a desenvolvedora (4A –  Games) mais a fundo, estava preocupado com a produção inicial do projeto. Mas, quando entendi que tudo estava situado no subterrâneo de Moscou, mudei de opinião. A narrativa é visivelmente diferente dos jogos americanos. Densa e perspicaz, flui com naturalidade.

Continue lendo

[Análise] Dante's inferno: A divina comédia nas suas mãos!


O caminho para o Inferno é curto. Ou melhor, é tempestuoso, voraz, melancólico, asqueroso e profundamente horripilante. Quando vivenciamos o protagonista no game Dante’s Inferno, nos tornamos mais do que um personagem: somos parte da sua culpa.

Esse sentimento pesado e verdadeiro é o que nos impulsiona durante todas as fases. Viver o desespero de outro ser é algo nefasto com a nossa realidade, contudo, nos identificamos com a sua agonia.

O jogo é baseado na primeira parte do poema épico medieval ‘A Divina Comédia‘, de Dante Alighieri. Assumimos o papel do próprio Dante e encaramos uma viagem para o inferno, onde buscamos encontrar Beatrice, sua amada. Essa caminhada é dividida em nove círculos de sofrimento (Limbo, luxúria, gula, avareza, ira, heresia, violência, fraude e traição) e contamos com o poeta Virgílio como guia da jornada. Obra possui uma ambientação medieval de inferno e purgatório que serviu de conceito descritivo para o mundo ocidental.

Continue lendo

[Análise] Bayonetta: Um novo patamar para os jogos de ação


Primeiras impressões:

“É quase impossível parar de jogar. Assumir o controle da personagem principal é fantástico. Desde o início do game, a interação e a aproximação feita com o cinema empolgam. O modo com que a história é relatada condiz com tudo aquilo que li sobre o título. A sensação de imersão é incrível. Em poucos minutos somos parte integrante desse mundo criado pela Platinum Games…”

Análise final

A diferença entre a narrativa dos jogos e do cinema, muitas vezes, está numa linha tênue. As possibilidades nas resoluções do roteiro podem perpetuar um direcionamento interessante na história em si. A escolha dos personagens e a forma de apresentação de cada um deles é o que alimenta a curiosidade de quem assiste e o insight de continuar ou não acompanhando o que foi proposto.

Continue lendo

[Análise] Confira as análises de Modern Warfare 2, Fifa 10 e Darksiders


Depois de muitas horas de jogatina, segue abaixo o veredicto final referente a três títulos mencionados no Push Start. São eles:

Modern Warfare 2

Primeiras impressões:

“Em primeiro lugar é bom salientar que não sou um fã assíduo de FPS. Não me insiro na jogatina online desse gênero pois, afirmo, não duraria 10 segundos. Contudo, MW2 é primoroso. Na verdade, as duas fases que joguei são espetaculares. Realismo, jogabilidade, controle, dublagem e gráficos… Tudo está muito bem feito.  Não consegui encontrar nenhum defeito ainda. Estou em dúvida se encontrarei…”

Análise final

O realismo é um ponto impressionante na imersão gerada pelos videogames. Vivenciar os sentimentos impostos pelas desenvolvedoras é um momento único. Desde o início da aventura MW2 traz a tona as sensações mais obscuras do ser humano. O gênero FPS, normalmente, já traduz essa situação, pois a visão do campo de batalha é imersiva.

Continue lendo

Confira as primeiras (boas) impressões sobre Bayonetta e Darksiders


Posso dizer que 2010 começou interessante. Pelo menos no quesito ‘lançamentos de jogos eletrônicos’ não posso reclamar. Dando continuidade às pequenas análises, ou melhor, as primeiras impressões, comentarei sobre os games: Bayonetta e Darksiders, ambos para o Xbox 360.

Ação em 3º pessoa é meu gênero predileto. A união de combos, gráficos bem trabalhados, trilha sonora de qualidade e enredo estruturado é vista com bons olhos por todos os jogadores. Os jogos que conseguem transformar essa mistura de características em algo plausível, certamente, encontram o sucesso.

Nesse primeiro olhar crítico posso afirmar que os dois títulos condizem com esse pressuposto. Contudo, vale lembrar que estou apenas no início da trama e não superei três horas de aventura em cada um.

Continue lendo

As primeiras impressões sobre: The Saboteur, MW2, Fifa 10, PES 2010, Assassin´s Creed 2 e Left for Dead 2


Diz o ditado popular que  ‘a primeira impressão é a que fica’. Entretanto, quando o assunto é  videogame, as opiniões referentes aos jogos podem transcender essa afirmação, devido a expectativa criada pelo título e o desenrolar das fases.

Eu já me empolguei várias vezes  com certos jogos e, com o passar do tempo, vi que  não eram nada disso. Hoje sou mais comedido para comentar os primeiros olhares de qualquer lançamento.  Essa análise requer um cuidado absoluto para que, futuramente, a nossa opinião não seja motivo de chacota.

Essa semana voltei a vida e comprei, novamente, um Xbox 360. Nesse meio tempo que fiquei sem o console alguns games chegaram ao mercado e tornaram-se verdadeiras lendas (caso de Modern Warfare 2). Para recuperar o tempo perdido na aquisição do aparelho comprei também seis jogos. Foram eles:  The Saboteur, MW2, Fifa 10, PES 2010, Assassin´s Creed 2 e Left for Dead 2. Vamos agora para as  breves primeiras impressões (sim, estou com um medo grande de me arrepender depois):

Continue lendo